Capitão Augusto lutará no Congresso pelas APAEs

Uma das instituições mais antigas do país no atendimento a pessoas com deficiência, a APAE (Associação de Pais e Amigos de Excepcionais) está preocupada com algumas propostas que tramitam no Congresso Nacional que podem levar ao fim gradual das unidades.
O projeto do novo PNE (Plano Nacional de Educação) prevê que os alunos com necessidades especiais estudem no mesmo ambiente escolar dos alunos sem deficiência. Além disso, outro projeto de lei em tramitação no Congresso, de autoria do senador cearense José Pimentel (PT), pretende cortar o repasse de verbas públicas para as associações a partir de 2016.
Diversas manifestações de professores e dirigentes da associação em parceria com familiares de alunos têm acontecido para evitar que o projeto seja aprovado. De acordo com a diretora técnica da APAE de Ourinhos, Vera Lúcia Ferreira de Lima, as instituições públicas de ensino não tem a menor condição de receber e prestar o atendimento necessário aos alunos especiais. “A inclusão na rede pública é uma proposta é excelente, mas se acontecer hoje vai ser um desastre porque não existe estrutura adequada para receber essas crianças e dar o mesmo tratamento das APAEs. Quem tem a entidade na cidade sabe bem como é feito o nosso trabalho”, ressaltou.
Em visita à APAE de Ourinhos, o deputado federal eleito, Capitão Augusto, conversou com a diretoria da unidade e recebeu o pedido para que se posicione contrário ao projeto de extinção da associação durante a votação na Câmara Federal. “Peço que lute conosco e discuta com seus pares. Sabemos que o senhor tem uma visão inovadora e quer muito lutar pela nossa causa. Mesmo com dificuldades, as entidades espalhadas por todo o país fazem um grande trabalho, não podemos permitir que as APAEs sejam deixadas de lado. Vamos perder qualidade e dar um passo para trás. Com seu jeito e sua vontade, será um grande aliado”, ressaltou a diretora escolar da unidade, Patrícia Regina Miranda da Cruz.
Capitão Augusto disse ser favorável à inclusão das crianças e jovens adolescentes na rede de ensino, porém reconheceu que o setor da Educação é um dos que mais necessita de investimentos e não tem condições de arcar hoje com todos os recursos e adaptações necessárias para proporcionar a mesma qualidade de ensino praticada com excelência pelas APAEs. “Vemos diariamente as escolas públicas passando uma série de dificuldades, não há a menor condição de fazer essa inclusão, pelo menos a curto e médio prazo. Ainda temos muito que avançar neste sentido. Portanto, assumo o compromisso de defender a continuidade do trabalho desenvolvido pelas APAEs junto à Câmara de Deputados e ser um defensor deste brilhante trabalho realizado com muito carinho e amor em Ourinhos e nas demais cidades do país”, concluiu o deputado eleito.

Deixe um comentário!

Your email address will not be published.